• Admin

Autismo: aprenda seus sintomas, causas e características

O autismo, também chamado de Transtorno do Espectro Autista (TEA), é um transtorno do desenvolvimento da criança. Nele, há déficit em três áreas importantes do desenvolvimento: comunicação, interação social e comportamentos (que são repetitivos e estereotipados). 

O TEA abrange diversas síndromes marcadas por perturbações do desenvolvimento neurológico, todas relacionadas com dificuldades no relacionamento social. Dentro do TEA estão condições como: Síndrome de Asperger, Transtorno autista, Transtorno Desintegrativo da infância, etc. Ele é 2 a 4 vezes mais frequente em meninos que meninas.

O autismo costuma ser identificado ainda na infância, entre 1 e 3 anos. Os sinais podem aparecer já nos primeiros meses de vida. De maneira simplificada, o distúrbio afeta a comunicação e capacidade de aprendizado e adaptação da criança e, portanto, grande dificuldade para estabelecer relações sociais ou afetivas, parecendo viver em um mundo isolado. O desenvolvimento físico não é afetado.

O grau da síndrome é variável. Alguns apresentam quadros mais leves, como a Síndrome de Asperger, em que não se compromete a fala e a inteligência. Há também formas mais graves, em que o paciente não consegue manter contatos interpessoais e possui déficit intelectual.



Causas

As causas do autismo não são totalmente conhecidas, mas existem algumas evidências de que haja predisposição genética para ele. Estudos mais recentes demonstram que os fatores genéticos são estimados em torno de 70% a 90% como causa, embora alguns fatores ambientais possam também estar presentes. 


Sinais

Veja alguns sinais do autismo:

6 meses:

  • Não sorri ao estímulo;

  • Contato visual ausente ou limitado.

12 meses:

  • Não balbucia;

  • Não usa gestos como apontar ou “dar tchau”;

  • Não atende ao ser chamado pelo nome.

16 meses: 

  • Não fala nenhuma palavra.

24 meses:

  • Não forma frases de ao menos duas palavras.

Qualquer idade:

  • Atraso na fala;

  • Não olha nos olhos;

  • Prefere ficar sozinho;

  • Comportamentos repetitivos;

  • Resistência a pequenas mudanças na rotina;

  • Reações inadequadas a estímulos visuais, auditivos ou táteis.


Diagnóstico

O diagnóstico do autismo é clínico pois não há exame laboratorial ou de imagem que ajude na identificação. Ele é feito através de observação direta do comportamento e de uma entrevista com os pais ou responsáveis. Os sintomas costumam estar presentes antes dos 3 anos de idade, sendo possível fazer o diagnóstico por volta dos 18 meses de idade.


Tratamento

O tratamento é individualizado para cada criança, que envolve os pais, familiares e uma equipe profissional multidisciplinar.  Esse tratamento deve começar logo após o diagnóstico e é baseado em intervenções comportamentais e psicoeducacionais.

Em alguns casos podem ser usados medicamentos, mas são indicados apenas quando surgem complicações ou comorbidades, ou quando o grau dos sintomas atrapalha o cotidiano.


Como é o cérebro do autista?

Para entender melhor como funciona o cérebro da pessoa com autismo, assista ao vídeo a seguir:




autismo

Para ter um diagnóstico mais preciso acerca do autismo, marque uma consulta.

O pediatra pode avaliar o desenvolvimento de seu filho (a) e poder averiguar se está havendo algum grau de comprometimento ou dificuldades. 

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo