• Admin

Seu filho está com febre? Aprenda quando procurar o médico

A febre é algo que leva a muitas dúvidas e medos por parte dos pais. Em muitos casos, é apenas o chamado “estado febril”, enquanto em outros pode ser um sinal de alguma doença. Nos dois casos há medidas que podem ser tomadas para ajudar a criança a se sentir melhor.

A febre não é uma doença, ela é uma reação do organismo contra algum problema. Ela também não é necessariamente um mal. Por exemplo, no caso de infecções ela auxilia o sistema de defesa a se livrar do agente agressor. Logo, ela é uma resposta do organismo a alguma alteração, ou seja, é um sinal de alerta.  

Para se certificar que a criança está com febre, deve-se medir a temperatura com um termômetro, colocando o bulbo do termômetro nas dobras das axilas e retirá-lo depois de cinco minutos para fazer a leitura. Existem outros termômetros, como os digitais, por exemplo, que também auxiliam nessa tarefa considerando a inquietude dos pequenos. 


termômetro digital

Doenças infecciosas comuns e de curta duração provocam a maioria dos quadros febris. A febre também pode ser um dos sintomas de várias outras doenças, portanto é preciso estabelecer um diagnóstico para orientar a conduta terapêutica.

Nos bebês, a febre também pode indicar outros problemas, como por exemplo:

  • Nascimento dos dentes: ocorre a partir do 4º mês. É possível observar a gengiva inchada, o bebê levando a mão na boca, e babar muito.

  • Reação pós-vacina: aparece algumas horas depois de tomar a vacina.

  • Doenças respiratórias como gripes, resfriados, otites, faringites, sinusites, entre outros.

  • Diarréias infecciosas.

  • Infecção urinária: também pode ser motivo de febre sem outros sintomas.

  • Outras doenças como dengue: comum no verão, principalmente em áreas epidêmicas. Entre os sintomas está febre, perda do apetite, a criança fica mais manhosa e dorme mais.

  • Doenças virais da infância como catapora, síndrome mão pé boca, faringites, estomatites, etc.

Veja algumas recomendações para baixar a febre do bebê:

  • Verifique se o ambiente está fresquinho e arejado para auxiliar na diminuição da temperatura. 

  • Trocar a roupa do bebê por uma mais leve e fresca.

  • Oferecer líquidos de meia em meia hora, se a criança estiver acordada.

  • Dar um banho, de morno a frio no bebê, evitando a água muito gelada. A temperatura da água deve estar próxima dos 36°C.

  • Colocar uma toalha molhada em água morna a fria na testa do bebê.

Sempre consulte seu médico, principalmente se o bebê estiver muito irritado, chorando muito ou apático. 


Orientações 


febre-refriado

A febre é apenas um sintoma, portanto a escolha do tratamento está associada à doença de base. Por exemplo, infecções por bactérias podem precisar da prescrição de antibióticos, medicamento ineficaz quando a infecção é por vírus.

Na maioria dos casos a febre é provocada por infecções de curta duração, como gripes, resfriados, etc.

Nestes casos o próprio corpo consegue se recuperar, não sendo necessário medicamentos para tratamento da febre. Repouso, hidratação e remédios para aliviar os sintomas geralmente são suficientes.

É normal que durante uma crise de febre a criança perca a fome, e não se deve obrigá-la a se alimentar. Se forçar, ela pode vomitar. O que se deve fazer é dar água em pouca quantidade, mas com grande frequência, já que ela pode perder água pela transpiração.

Cuidado: ácido acetilsalicílico é contraindicado em casos de dengue e de certas infecções virais das crianças.

Atenção: Febres que se aproximam ou passam dos 40°C nas crianças podem provocar confusão mental, delírios e até convulsões.

Em muitos casos, o tratamento homeopático e medidas caseiras naturais auxiliam muito seu filho nesses quadros agudos de febre.

Na dúvida, procure seu pediatra!

0 comentário