• Admin

Crianças podem ser vegetarianas e saudáveis? Confira os benefícios dessa dieta.

Você sabe as diferenças entre as dietas vegetarianas? Quem segue este tipo de dieta pode ser classificado de acordo com o consumo de subprodutos:

- Ovolactovegetariano: utiliza ovos, leite e laticínios na alimentação. 

- Lactovegetariano: não utiliza ovos, mas faz uso de leite e laticínios.

- Ovovegetariano: não utiliza laticínios, mas consome ovos.

- Vegetariano: não utiliza nenhum derivado animal em sua alimentação.

- Vegano: não usa qualquer alimento derivado animal em sua alimentação, assim como produtos ou roupas contendo estes alimentos, nem qualquer diversão que seja às custas de exposição animal (ex: zoológicos).

Mas, uma criança pode ser vegetariana?

Tem crescido muito o número de pessoas que escolhem uma dieta vegetariana. De acordo com pesquisa do IBOPE Inteligência realizada em abril de 2018, 14% da população se declara vegetariana no Brasil. Isso representa quase 30 milhões de pessoas.

Existem diversas razões que levam alguém a escolher o vegetarianismo: preocupação com o meio ambiente, estilo de vida mais saudável, crenças religiosas, cultura, etc.

De acordo com a ADA (Associação Dietética Americana), a AAP (Associação Americana de Pediatria), a SCP (Sociedade Canadense de Pediatria), uma dieta vegetariana bem balanceada pode promover crescimento e desenvolvimento adequados a crianças e adolescentes.

A SVB (Sociedade Vegetariana Brasileira) apoia uma alimentação equilibrada e saudável na infância, inclusive recomendando a amamentação ou suplementação de acordo com as recomendações de instituições referências nas áreas médica e da nutrição.

A Sociedade Americana de Pediatria recomenda que a criança vegetariana seja acompanhada por um médico especialista e, se necessário, consuma alimentos enriquecidos ou suplementos vitamínicos. 

Por sua vez, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) faz ressalvas sobre este tipo de dieta para crianças e gestantes. É importante que os pais busquem boas fontes de ferro, cálcio, zinco, ômega 3, vitamina B12 e vitamina D, para atingir as necessidades nutricionais relativas à idade da criança. Se não for possível alcançar apenas através da alimentação, é necessário fazer uma suplementação medicamentosa.


salada

Riscos e Benefícios

A dieta vegetariana não oferece nenhum risco ao desenvolvimento das crianças. A única observação é que deve ser feito um controle das taxas de nutrientes no sangue, como em qualquer dieta. 

A Academy of Nutrition and Dietetics (2016) e a American Dietetic Association e Dietitians of Canada (2013) reconhecem a alimentação vegetariana como adequada em todas as fases da vida, incluindo a infância, desde que todos os cuidados nutricionais e alimentares sejam realizados, assim como para qualquer tipo de dieta.

Tanto crianças quanto adolescentes vegetarianos devem ser monitorados e, se necessário, suplementados, para evitar a deficiência de nutrientes.

No geral, dietas vegetarianas fornecem menores quantidades energéticas e proporção de gorduras saturadas por refeição, e possuem maior teor de fibras, frutas e vegetais. Por não conter alimentos de origem animal, pode ocorrer uma menor ingestão de ferro, vitamina B12, cálcio e zinco. Por isso é preciso acompanhamento de um profissional.


Prato de comida saudável

Substituições - onde encontrar nutrientes

Ferro: pode ser encontrado em vegetais verde-escuros e leguminosas. A dica é evitar o consumo de alimentos fontes de cálcio (como queijo e leite) em refeições ricas em ferro.

Zinco: está presente em grãos, como o feijão. 

Cálcio: leite e derivados são as principais fontes de cálcio. Pode ser encontrado também em frutas, verduras e feijão.

Proteínas: ovos, leite e derivados são boas fontes de proteínas. Para quem é vegano, as opções são tofu e iogurte de soja. Mas atenção: não é recomendado o consumo de soja em crianças menores de 1 ano.

Vitamina B12: esta é a única vitamina que não pode ser encontrada em alimentos que não são de origem animal. Importante para a formação de glóbulos vermelhos, da parte neurológica e do desenvolvimento cognitivo da criança. Por este motivo é fundamental suprir esta vitamina com suplementação (de acordo com a orientação de um médico).


Mantenha seus exames em dia para saber se há necessidade de suplementação. Marque uma consulta e venha tirar suas dúvidas!

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo