• Admin

Confira aqui como escolher o melhor protetor solar para seu filho

O verão já acabou, mas nossos dias de outono ainda estão sendo quentes o suficiente para aproveitar um dia na praia ou piscina.  Mas para garantir que seu filho fique bem protegido dos raios solares, é preciso escolher um bom protetor solar.

Veja a seguir um resumo sobre qual produto escolher. E lembre-se de consultar seu pediatra se surgir qualquer dúvida.

A melhor idade para se começar a usar o produto é a partir de seis meses. Antes disso não há um produto recomendado, pois a pele do bebê é sensível e fina, podendo apresentar reações. Antes dos seis meses a sugestão é que se evite a exposição solar, devendo ter preferência apenas pelo sol do início da manhã ou do final da tarde, e em poucos períodos de tempo. Ao sair com o bebê, proteja sua pele com roupas frescas e leves (preferencialmente com tecidos naturais como algodão), e chapéus. Procure permanecer em locais protegidos do sol.

Depois dos seis meses deve-se procurar produtos específicos para esta faixa etária. Até os dois anos, recomenda-se usar um protetor solar de barreira física, também conhecidos como filtros "baby" ou "mineral". A partir de dois anos pode-se usar filtro solar infantil (costumam ser uma mistura de filtros químicos e físicos), conhecidos como "Kids", "Infantil" ou "Criança".

Para uma proteção eficiente, é fundamental escolher protetores com proteção a partir de 30 FPS. Para os de pele mais clara, é recomendado escolher a partir de 40 FPS.

O sol provoca queimaduras que trazem a dor, desconforto e risco para a criança. Além disso, é responsável pelo surgimento de manchas e é o principal agente causador do câncer de pele. 


protetor solar

Você sabia?

A radiação ultravioleta possui efeito cumulativo na pele, isto é, desde criança é preciso se proteger para evitar o câncer mais tarde. É estimado que durante a vida de uma pessoa mais de 75% da radiação solar é recebida até os 20 anos. Logo se percebe a importância da proteção solar desde a infância.

Sempre peça orientação do seu pediatra antes de comprar o protetor solar para seu filho!

Veja algumas dicas antes de comprar o protetor solar:

  • Resistente à água.

  • "Livre de lágrimas": para não arder, caso entre contato com o olho.

  • Hipoalergênicos: ajudam a evitar reações. Sempre teste o produto em uma pequena área para ver se não irá ocorrer reações alérgicas.

  • Bloquear raios UVA e UVB. Ambos são carcinogênicos, ou seja, podem causar câncer. Os raios UVA são os responsáveis pelo envelhecimento da pele. Já os raios UVB podem causar queimaduras.

  • Creme ou spray: prefira os de creme, pois é mais fácil controlar a quantidade e as áreas a serem aplicadas, além disso, não há o risco de a criança inalar o produto.

Protetores Físicos ou Químicos?

O protetor solar de adultos utiliza muito mais substâncias químicas para criar a barreira protetora, e nas crianças essas substâncias podem causar reações. Por esse motivo, o protetor solar infantil usa filtros físicos ao invés de químicos. 

Os protetores químicos são compostos por diversas substâncias que são absorvidas pela pele ao contato com os raios solares. Esses componentes impedem que a radiação solar penetre na pele.

Já os filtros físicos atuam como uma barreira física, refletindo os raios UV.  Eles não são absorvidos pela pele, e por isso são hipoalergênicos, sendo indicados para bebês, grávidas e para quem tem alergias.

Como aplicar?

O protetor deve ser aplicado no corpo todo da criança pelo menos meia hora antes de chegar na praia ou piscina. Ele deve ser reaplicado nas áreas expostas de acordo com o rótulo do produto e sempre depois de entrar na água ou se a criança suar muito.

Aplique bastante, sem economizar. Lembre-se de aplicar nas orelhas, na parte de cima dos pés e no pescoço.

Mesmo com todos esses cuidados, evite pegar sol entre as 10 e 16 horas, quando o sol está mais forte. O protetor deve ser passado mesmo em dias nublados.

0 comentário